Agradecimentos



AGRADECIMENTOS



Mais do que uma obra de cunho puramente acadêmico, este livro é fruto de sentimentos de carinho e respeito pelo Mestre Irineu que pulsam no coração de muitos dos envolvidos em sua realização. Em nossas andanças para levá-lo a cabo encontramos muitas pessoas cujas vidas haviam sido tocadas pela sua influência. Alguns tiveram o privilégio de conhecê-lo pessoalmente, outros através de seus ensinamentos. Para muitos, ele ocupa um lugar central em suas vidas.Conscientes disso, buscamos uma postura respeitosa em nosso trabalho, ao mesmo tempo que procuramos fazer um relato fidedigno de sua vida. Certamente devemos ter incorrido em equívocos, pelos quais nos responsabilizamos pessoalmente, mas os acertos que porventura tenhamos alcançado somente foram possíveis graças à ajuda de inúmeros amigos e de suas variadas formas de apoio, seja compartilhando conosco seus conhecimentos sobre a vida de Mestre Irineu e seus companheiros, seja cedendo fotos, documentos e partituras, seja ajudando de diversas outras maneiras na execução do texto final. A todos eles somos muito agradecidos. Tentaremos em seguida nomear alguns desses importantes colaboradores, mas desde já estendemos a nossa gratidão a um grupo ainda maior, que não pôde ser lembrado aqui em sua totalidade. 

Assim agradecemos a Denize Portugal, esposa de Paulo Moreira que ajudou nas transcrições de entrevistas e deu uma crucial assessoria organizacional durante o trabalho de campo. Agradecemos a Abner Portugal por também ter nos ajudado nas transcrições das entrevistas.
Sergio e Mundicarmo Ferretti deram apoio e importantes informações sobre as manifestações culturais afro-maranhenses. Daniel Serra e Otília gentilmente hospedaram Paulo Moreira em São Luís e forneceram preciosas informações sobre o Mestre Irineu. Esses agradecimentos também são extensivos a Zé Maria (irmão de Daniel Serra) e a Mivan, pela viagem que proporcionaram a Paulo, dando-lhe a oportunidade de chegar a São Vicente Férrer. 

Queremos agradecer em especial a Jair Facundes por nos permitir publicar muitas das transcrições de suas entrevistas feitas em vídeo, além de facilitar encontros para a realização de outros depoimentos que sem ele não teriam acontecido. Foram de suma importância alguns de seus comentários sobre o manuscrito inicial, que nos ajudaram a evitar posicionamentos demasiadamente parciais. Também agradecemos a seu pai, João Rodrigues, pelos seus relatos sobre Mestre Irineu e a comunidade original do Daime. 

O Francisco Farias (o “Xico Bocão”), Tânia, Sharlene e a Shirlene (Gugu) toda a família, tampouco podem ser esquecidos, pela hospedagem e por muitos transportes a campo que proporcionaram a Paulo Moreira em Rio Branco. Antônio Macedo nos cedeu cópias das fotos de sua coleção e também entrevistas em vídeo de vários seguidores de Irineu que não estão mais vivos. Agradecemos a todos os entrevistados que proporcionaram o conteúdo deste livro: Loredo, Alzira, Edilza e todos da família, José Vieira, França, Emilio e sua esposa Francisca Mendes, Raimundo, Matilde, João Belém, Luis Mendes, Rizelda, Saturnino, Solón, Adália Granjeiro, Valcírio e sua esposa Dida, Leonel, Guilherme e a todos da família Granjeiro, Chagas, Maria, Pedro Fernandes, Ladir, Domingas, Veriana, Pedro Matos, Jesus Costa, Nina Costa, Paulo Serra e sua esposa Altina, João do Rio Branco, Mauro, Raimundo Nonato, Tânia Texeira, Sebastião Tiagrada, Mario, Francisco Martins, Paulo Ferreira Lima, Antoine e Expedita (viúva de Zé Dantas). 

Jairo Carioca nos deu acesso a seus escritos e foi outro interlocutor valioso, mantendo conosco ricos diálogos sobre o tema. Agradecemos também a Lourdes Carioca, e seus filhos: Zé Carlos, Jane, por hospedarem Paulo Moreira em sua casa e pelas valiosas informações que compartilharam conosco. Somos gratos a Julinho e João Batista, Guido, e seu netos: Jorge e Chaiane. 
Agradecemos a todos das diretorias dos diversos centros daimistas que permitiram a nossa participação em seus rituais e a convivência com suas irmandades: Centro Livre Caminho do Sol, Centro Rainha da Floresta, Centro Iluminação Cristã Luz Universal Juramidan e Centro Iluminação Cristã Luz Universal por terem permitido a participação em seus rituais. 

Da mesma forma, queremos registrar os nossos agradecimentos póstumos a José Dantas (“Zé Dantas), antigo seguidor de Mestre Irineu desde a década de 40, por sua acolhida a Paulo Moreira em Porto Velho. Zé Dantas nasceu em 19 de agosto de 1936 e morreu em 1 de setembro de 2007, com 71 anos. Lembramos também o Dilmo (Pai de José Souza) que fez sua passagem em 1 de setembro de 2008 e José Vieira, esposo de Domingas (sobrinha de um primo de Mestre Irineu), que morreu em março de 2007. Ainda agradecemos e lastimamos a partida de Cecília Gomes (“Dona Preta”), falecida em junho de 2009, Raimundo Ferreira (“Loredo”), (nasceu em 10 de setembro 1922 e morreu em 20 de Janeiro de 2009) e Tufi Rachid Amim ( nasceu em 10 de maio de 1952 e morreu em 3 de maio de 2010). 

Queremos agradecer a todos os órgãos do governo Federal, Estadual e Municipal do Acre que nos deram apoio, em especial: o Patrimônio Histórico do Acre, por nos deixar ter acesso a documentos, entrevistas e fotos históricas do Acre e do culto de Irineu. Estamos também muito gratos ao ITERACE e a “Chiquinho”, pelos documentos de terras e croquis, ao INCRA, pelos mapas, à Fundação Garibaldi Brasil (Secretaria de Cultura do Município de Rio Branco) pelo dialogo enriquecedor com o Secretário Marcos Vinicius Santana das Neves, à Fundação Elias Mansour (Secretaria de Cultura do Estado do Acre) pelo acesso a seus arquivos, ao Fórum de Rio Branco, que nos permitiu consultar os atestados de casamento e de óbito de Mestre Irineu,assim como ao registro do CICLU e o atestado de óbito de André Costa, ao Fórum de Brasiléia – AC e ao Acervo do Patrimônio Histórico do Acre que nos permitiu utilizar material sobre os soldados da borracha pertencentes ao Museu dos Autonomistas. Igualmente estamos gratos ao Patrimônio Histórico do Maranhão pelas fotos de Galdêncio Cunha do Álbum de 1908. 
Os escritos de Sandra Goulart e Arneide Bandeira Cemin fornecem importantes contribuições para uma melhor compreensão da obra de Mestre Irineu e fundamentaram diversas de nossas proposições. Agradecemos a elas pelos frutos de seu pioneirismo acadêmico. À Sandra Goulart somos especialmente gratos pelas suas sugestões pessoais e hospedagem de Paulo Moreira durante sua estada em São Paulo. José Maria Nogueira, diretor da sede matriz do Circulo Esotérico Comunhão do Pensamento, foi muito gentil em permitir nossas consultas aos arquivos daquela instituição. A Biblioteca Mario de Andrade também foi importante local de consultas. 

As pautas musicais aqui publicadas são o resultado de um estudo comparativo entre interpretações musicais de hinários oficiais baseados em gravações das sedes CRF, CICLUJUR, CELIVRE e ALTO SANTO. Na realização desse estudo contamos com os inestimáveis préstimos dos músicos Marcus Castello, Natanael Oliveira e Roberto Marfuz, que nos proporcionaram consultoria musical, escrita, revisão, análise, transcrição, transposição e digitalização de pautas musicais. Queremos agradecer também aos músicos José Carlos Carioca, Julio Carioca, Valcírio Granjeiro, Leonel Granjeiro, pelas apresentações dos hinos, pelos toques musicais, assim como por demonstrarem as suas possíveis tonalidades e formas de execução. 

Agradecemos ao fotógrafo Américo de Melo e a Eduardo Bayer por permitir usar fotos de seus acervos particulares sobre Mestre Irineu. Outras imagens nos foram gentilmente emprestadas por Antônio Macedo, Rodrigo Conti, Eduardo Gabrisch, Thiago Silva e pelos responsáveis pelos sites que divulgam a memória fotográfica da religião. Somos especialmente gratos a todos os fotógrafos que contribuíram com sua obra para os acervos desses colecionadores. Marcio Vasconcelos nos cedeu a foto de Elpídio, famoso tocador de tambor de crioula do Maranhão, primo de Mestre Irineu.
Muitas das fotos presentes neste livro são de autoria de fotógrafos desconhecidos ou anônimos. A eles queremos deixar claro que este livro é resultado de uma pesquisa acadêmica sobre a cultura religiosa do Daime e que tem por objetivo documentar a memória desta religião sem fins lucrativos. Declaramos que não poupamos esforços para encontrar os autores das fotos publicadas, mas em muitos casos isso não foi possível. De toda maneira, ainda desejamos conhecê-los para poder atribuir-lhes nominalmente a autoria dessas imagens em uma possível nova edição desta obra. 
Na impossibilidade de saber quem eram os autores de muitas fotos, optamos por credenciar os detentores de direito de imagem. Assim, estamos muitíssimos gratos aos detentores de direitos de imagem (por estarem de posse das fotos) Mauro, Jairo Carioca, Edilza, Alex Polari, Chagas Brito, Emílio e Daniel Serra pela sua disposição em nos ceder imagens de seus arquivos. 

Agradecemos ao CNPQ pelo financiamento de projeto de pesquisa coordenado por Edward MacRae e ao CNPq e à FAPESB pela concessão de bolsas de mestrado e de auxílio à pesquisa a Paulo Moreira. Tais bolsas e auxílios, além de ajudar a financiar o trabalho de campo no Acre e a análise dos dados levantados, permitiram o deslocamento de Edward MacRae ao Acre e Amazonas e as viagens de Paulo Moreira ao Maranhão, Rondonia e São Paulo, com o intuito de aprofundar e conferir os resultados de investigações iniciais. Agradecemos também ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFBA que também contribuiu para o financiamento das idas ao campo de Paulo Moreira.

A edição deste livro foi realizada com o apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa da Bahia- FAPESB, da Editora da Universidade Federal da Bahia-EDUFBA, da Associação Brasileira de Estudos Sociais do Uso de Psicoativos-ABESUP e do Grupo Interdisciplinar de Estudos sobre Psicoativos-GIESP. Somos imensamente agradecidos a essas instituições e em especial a alguns de seus dirigentes e funcionários que acreditaram e incentivaram o nosso projeto.Aqui desejamos destacar o nome de Flávia Garcia da Rosa, diretora da EDUFBA, por sua competência e simpatia. Também agradecemos ao GIESP e à ABESUP por disponibilizarem os serviços de seu secretário Wagner Coutinho Alves, o Joey. Este prestou valiosíssima ajuda na elaboração do texto final, atuando como revisor, digitador e, acima de tudo, inteligente leitor, interlocutor e bom amigo em nossos momentos de crise criativa. 


Desejamos também agradecer a Domingos Bernardo Gialuisi da Silva Sá, Paulina Duarte e Dartiu Xavier da Silveira pelas suas honrosas contribuições ao livro. Consideramos que, cada um à sua própria maneira, têm prestado valiosas contribuições para o afastamento de preconceitos e uma melhor compreensão do valor da doutrina ensinada por Mestre Irineu. 

Finalmente desejamos explicitar que, ao agradecer a todas comunidades ayahuasqueiras comumente reunidas sob a denominação de “Alto Santo”, pensamos, acima de tudo em Mestre Irineu, cujo legado permanece vivo na memória de seus seguidores e continuadores de sua doutrina, a luz da qual inspirou este trabalho.

  Receba as publicações "Eu Venho de Longe: Mestre Irineu e seus companheiros" por e-mail   

Informe seu email para receber novos artigos

0 comentários:

Postar um comentário