domingo, 1 de julho de 2012

O LUGAR ONDE MESTRE IRINEU QUIS SER ENTERRADO


.
Comenta-se que Mestre Irineu, desde a época em que estava casado com D. Raimunda, já falava abertamente sobre o local onde queria ser enterrado. Havia escolhido um terreno para seu jazigo, 200 metros à frente de sua casa, ao lado da residência de Leôncio Gomes. Mesmo assim, o local teve que ser preparado às pressas, enquanto ocorria o seu velório, segundo o relato de Paulo Serra:    

O Mestre Irineu falou pra mim e pra minha mãe [Raimunda] onde ele queria ser enterrado. Eu tinha doze anos. Era um lugar que tinha um pé de “Cumaru ferro” de um lado, e que só tava só um toco e um palheiro do outro lado.
Ele tava fazendo as covas de milho pra plantar, que ele fazia as covas ali assim, uma cova aqui e outra aqui entendeu? Ele chegou ali ficou em pé olhando um tempo. Ele disse: “Raimunda e Paulo, quando eu morrer quero ser sepultado aqui. Raimunda, talvez você não esteja mais aqui, mais seu Paulo está.” Eu disse: “Papai que conversa é essa?”  Ele disse: “É vai ser aqui. Vai passar a estrada aqui. Eu quero tá aqui, olhando pra quem passa de carro, ou, de pé. Todos vão passar por aqui.” Eu disse: “Que nada papai.” Ele disse: “É meu filho.” Eu disse: “Quando é que vai passar estrada aqui papai?” Não tinha estrada não. Os carros antigamente vinham por dentro do Alberto Torres, até o terreiro dele, mas, só vinha mês de Julho, Agosto, Setembro. Aí, depois já começava a dar uns pingos de chuva, ai já não vinha mais que era uma tabatinga doida (Entrevista de Paulo Serra dada a Jair Facundes em 2005).

Paulo Serra pediu ao Governador Wanderley Dantas (Governador de Rio Branco no período de 15 de março de 1971 a 15 de março de 1975) a autorização para enterrar seu pai no local escolhido por ele. Fala-se que o Governador já estava ciente da solicitação e logo autorizou a realização do enterro naquele terreno. O Governador enviou também a banda da Polícia Militar, fazer as honras e tocar no cortejo de seu amigo, na manhã da quarta-feira do dia 7 de julho de 1971. (MOREIRA; MACRAE, 2011, p. 394)

Referência bibliográfica

MOREIRA, Paulo; MACRAE, Edward. “EU VENHO DE LONGE: Mestre Irineu e seus companheiros”, Salvador, Bahia, EDUFBA, EDUFMA, ABESUP, 2011. 

A foto acima foi tirada por Flávio Lopes, diretor de arte e videomaker. 

Veja mais sobre o assunto em nossos artigos:

O TÚMULO DE MESTRE IRINEU DEPOIS DA REFORMA



  Receba as publicações "Eu Venho de Longe: Mestre Irineu e seus companheiros" por e-mail   

Informe seu email para receber novos artigos


0 comentários:

Postar um comentário